segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Quando a tristeza atinge uma nação inteira

Literalmente fomos atingidos por uma tristeza imensa! O país, comandado pelo Ali Babá e seus 400 ladrões, estimulados por uma imprensa sem escrúpulos, que nos jogam cada vez mais para um buraco sem fim, de onde dificilmente sairemos. O Flamengo, que não é comandado por nenhum Ali Babá, pelo contrário, é comandado por uma diretoria muito competente e que conseguiu em pouco tempo colocar as finanças do clube em dia, mas que na ânsia de dar alegria a sua torcida, acabou fazendo muitas contratações que não deram muito certo e com isso levou os torcedores a uma grande decepção e consequentemente a uma tristeza por ver o time se arrastando em campo, com jogadores que não parecem comprometidos com o clube.

O técnico afastado teve muito tempo para fazer um time, no entanto não conseguiu. Ninguém e muito menos ele, sabia de cor qual era o time titular. O goleiro Muralha jogava mal, ele punha o Tiago, este jogava mal voltava Muralha e depois o Diego Alves, sendo que nenhum dos três é goleiro para o Flamengo. E assim prosseguia em todas as posições, menos do Rever, do Marcio Araújo, do Diego, do Guerrero e do Everton, esses eram cativos em suas posições.

Os quatro laterais foram responsáveis por grande parte das derrotas que a equipe sofreu e houve momento em que o sábio treinador teve a capacidade de colocar os quatro em uma só partida. Espero que o treinador que está chegando arme um esquema que não precise de nenhum deles.
Os defensores do Zé Ricardo dirão: Mas o cara tem retrospecto! Nunca vi retrospecto ganhar campeonato e é por isso que acho que a diretoria perdeu muito tempo com ele, com certeza não é e nem será nenhum Carlinhos.

Acho que o novo treinador não deve ter gostado muito do que viu ontem e se ele tiver uma boa visão, talvez ele deixe em campo poucos daqueles que jogaram ontem. Essa é minha esperança!

Por Toninho Bolado

domingo, 6 de agosto de 2017

Não dá mais para segurar o Técnico!

Em todos os textos que escrevi até hoje, de uma maneira ou outra, eu sempre chamei a atenção para as tais convicções do Zé Ricardo. Em minha opinião não fazia sentido o técnico ter em mãos jogadores técnicos e fazer opção a jogadores como Marcio Araújo, Gabriel, Rodinei, Renê e outros. Sobre isso o Kleber Leite fez um comentário interessante, que o técnico ao optar por jogadores medíocres tendo jogadores de qualidade era o mesmo que uma pessoa ir a um restaurante de luxo e pedir pão com ovo. Concordo plenamente com ele!
Quero deixar bem claro, que a derrota de hoje não teve nada a ver com a escalação do time. A derrota de hoje teve mais a ver com o baixo rendimento dos medalhões que por um acaso não podem ser substituídos. E aí temos que concordar que o Mancuello está fazendo falta ao time, pois quando ele estava jogando, o técnico quando não o substituía no intervalo, custava esperar os 10 minutos para fazê-lo. A lembrança dele me veio à mente, porque foi de cortar o coração ver a imagem desolada desse jogador no banco e nem ser chamado ao menos para o aquecimento.
Eu vejo times que não foram tão bem assim na Copinha São Paulo utilizarem muitos jogadores da base e o Flamengo, pelo contrário, quase não usa jogador nenhum e hoje o técnico me põe o Paquetá, que fazia muito tempo que não participava de uma partida. Será que ele não sabe nada sobre ritmo de jogo?
É claro que o técnico vai cair. Ninguém resiste ao descontentamento da galera, mas só espero que venha alguém que saiba escolher os melhores jogadores para jogarem e não aqueles que são queridinhos da diretoria. E que parem imediatamente com as contratações, a não ser que seja no mínimo o Cristiano Ronaldo.

Por Toninho Bolado

terça-feira, 18 de julho de 2017

O Campo do Urubu Morto

Por Jari da Rocha
Colaboração para o Tijolaço

Num lugarejo, ali entre a Serra Leoa e o Cerro Caverá, havia um terreno, do tamanho de um campo de futebol, repleto de árvores frutíferas.

Tinha abacateiro, limoeiro, pereira, macieira, ameixeira, pessegueiro, amoreira, bananeira, butiá, goiabeira, coqueiro, mamoeiro e também pés de laranja, bergamota, gabiroba, urucum, acerola, carambola, araçá e framboesa.

Que delícia, não é? Só que não, andar por ali era um tormento.

As frutas caiam das árvores e apodreciam num tapete estendido pelo chão. Em certos dias, os vários cheiros de frutas podres era tão forte que alguns moradores chegaram a dizer que o fedor vinha de algum urubu morto.

Daí veio o nome: Campo do Urubu Morto.

Mas uma tal dona Arminda, senhora cujas rugas sulcavam o belo rosto da juventude -incomodou-se da volta enorme que dava até o mercado, do outro lado do campo do urubu morto.

E resolveu dar jeito no lugar.

Cavou um buraco, onde lançava frutas podres, devidamente cobertas com camadas de folhas das árvores para que tampassem o cheiro. Numas caixas, separava as frutas recém caídas, para que os passantes escolhessem aquela que queriam. Havia a caixa das verdes, das maduras e até as “passadas”, boas pra fazer doces.
.
E assim fazia, todos os dias,

Logo o lugar começou a ser frequentado por todas as pessoas que queriam frutas frescas ou só desejavam passear a sombra das árvores, que já não fedia a urubu morto, mas tinha aroma das frutas de cada época. Passaram a chamar a nesga de terra de Bosque das Frutas,

Havia também um menino que ajudava a Dona Arminda. E ela contava sobre cada fruta: qual era o nome, que gosto tinha, para que servia e o tempo em que amadurecia.

Era, a bem dizer, o único que perdia uma hora por dia para ajudá-la, embora fossem muitos os que, de graça, pegavam e comiam as frutas. Alguns até resmungavam o dia em que não havia aquela que queriam, veja só.

Um dia,  o tempo pesou e Dona Arminda acordou indisposta e assim ficou por semanas.

Coube ao menino, então cuidar de tudo. Mas não tinha a ciência das plantas e dos jeitos que os 80 anos ensinaram.

Então, por desatenção ou atrapalhação, o guri misturou frutas. Verdes com maduras e, pior, sempre foi parar alguma “passada” na caixa que guardava as maduras.

A revolta foi imediata.

Os sabidos da vila começaram a reclamar. e logo chamaram uma reunião Conselho da Comunidade se reuniu às pressas, e veio o promotor, e o juiz, o padre, o Lions Clube, a Congregação Mariana, a maçonaria… Até o presidente do clube de futebol e a gauchada do CTG foram unânimes em protestar.

Logo se reuniram, enchendo a Praça do Pato, e decidiram em caráter irrevogável, pelo fim daquela bagunça.

O menino foi mandado para o reformatório, onde virou bandido.

A Dona Arminda, que entregou o pomar para o guri que – denunciaram – volta e meia roubava para si umas goiabas – era a evidente responsável pela desgraça e, pequenina,  foi enforcada num pé de bergamotas.

Hoje, quem passa por ali fica sabendo pelo nariz que o lugar se chama, outra vez, Campo do Urubu Morto.

domingo, 16 de julho de 2017

Tática dos adversários: Não deixar o Diego jogar!

Todo mundo sabe que o Diego é quem carrega o time nas costas, ele supre a deficiência do nosso meio campo, dos nossos laterais e às vezes até da nossa defesa. O Diego joga bem, o time todo joga bem, porque ele sabe prender a bola na hora que precisa prender e com isso, enquanto ele prende a bola dá tempo dos outros jogadores se recomporem taticamente dentro de campo. Foi com esta maneira de jogar que o Flamengo ganhou vários jogos.
Há duas partidas que o Diego não consegue jogar muito bem e consequentemente as vitórias não vieram, mas a culpa de não jogar bem, não foi dele. Foi da tática covarde dos adversários em não deixa-lo jogar, foram sete ou oito faltas marcadas em cima dele, fora as que não foram marcadas.
Quantas vezes eu vi jogadores do Flamengo levarem cartão por terem cometido três faltas no mesmo jogador. Em momento nenhum eu ouvi o Cigarrinho comentar qualquer coisa a esse respeito, parece que é tudo combinado, porque se a imprensa comentar, com certeza, os árbitros vão passar a coibir este tipo de arbitrariedade com mais rigor.
O time não jogou mal, assim como não jogou mal contra o Grêmio e merecia resultados melhores nas duas partidas, mas infelizmente não vieram. Agora, um time com esse elenco tem a obrigação de retribuir o sacrifício da diretoria com vitória sempre e essa torcida tem o direito de ver esse time brigando pela primeira posição. Ainda tem muito campeonato pela frente e eu ainda acredito, mas não podemos levar os gols que estamos levando.

Por Toninho Bolado

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Diego Alves deve acertar com Flamengo até sexta-feira



O sonho dos rubro-negros está cada vez mais próximo de ser concretizado.



Para quem considerava, com unanimidade, a contratação de Everton Ribeiro como maior da janela de transferências do meio do ano, a contratação Diego Alves (caso confirmada) dividirá protagonismo com a do meia.
De acordo com Ivan Raupp, correspondente do globoesporte.com na Europa, o arqueiro deve se acertar com o Flamengo na sexta-feira (14).

Diego está com 32 anos e tem como principal meta a disputa da Copa do Mundo de 2018, sendo assim, a visibilidade dada pelo Flamengo pode ser uma peça-chave para a chegada do goleiro.

Fonte: Coluna do Flamengo

De onde vem, não sei, mas quem anda estimulando o ódio, eu já sei!

Ontem, no Jornal Nacional a TV Globo mostrou uma matéria onde um bandido que está preso por suspeita de matar um torcedor do Bota Fogo, vestido com a camisa do Flamengo e incitando a violência para a partida de Flamengo e Vasco em São Januário. Nem sei se é uma matéria verdadeira, pois vindo da Rede Globo pode se esperar de tudo, mas foi uma matéria totalmente tendenciosa que colocava sobre a torcida do Flamengo toda responsabilidade dos incidentes provocados pelos torcedores vascaínos e meio que tirando a responsabilidade dos verdadeiros culpados.
É pena que uma emissora tão capacitada para fazer novelas, minis - séries e até mesmo reportagens que não envolva política, seja capaz de submeter à baixarias dessa natureza. O verdadeiro jornalismo é aquele que não tem lado e a Rede Globo infelizmente escolhe sempre o lado que pode lhe conceder mais vantagens, que no caso entre a CBF e o Flamengo é lógico que escolheria a primeira por ser de sua mesma estirpe.
Não é de hoje, que a TV Globo e a imprensa em geral, exploram coisas negativas sobre Flamengo. Veja o caso Bruno, o cara jogou no Corinthians, Atlético Mineiro, mas só o relacionava ao Flamengo. Aí teve o caso do Adriano com armas de brinquedo, o caso do Luiz Antônio. Sempre enfatizando bastante o nome do Flamengo.

Por Toninho Bolado

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Confio muito na torcida do Flamengo

Acabo de ver na televisão que o estádio São Januário do Vasco da Gama foi interditado por 30 jogos, aliás, merecidamente, pois o que foi visto domingo lá em São Januário foi de uma selvageria sem precedente. A imprensa como sempre, por não se tratar de pessoas relacionadas ao Flamengo, fica querendo amenizar as coisas. Dizendo que foi apenas meia dúzia de bandidos e não sei mais o que. Mas a verdade é que não foi nada disso que nós vimos lá. Lá, o que nós vimos foi quase que o estádio todo jogando bombas, quebrando tudo, num verdadeiro desrespeito ao seu próprio patrimônio. Tudo isso é consequência do ódio que foi criado no país de uns tempos pra cá.
A torcida do Flamengo é constituída de pessoas mais simples, mais humildes em fim, a nossa torcida é do povo e pessoas assim são mais educadas, mais compreensivas. É por isso mesmo, que acredito sinceramente, que nossa torcida saberá reconhecer o sacrifício da nossa diretoria em construir nosso “Alçapão” e por isso mesmo saber preservá-lo de qualquer tipo de depredação, como foi visto em São Januário. Ali agora é nossa casa e é ali que tenho absoluta certeza de que teremos muitas e muitas vitórias, mas se em algum momento, houver alguma derrota, paciência! Mas não será por isso que vamos sair quebrando o que é nosso.
Não foi somente o estádio que essa diretoria nos deu não, ela nos deu também um belo de um elenco. São quase 30 jogadores com capacidade de ser titular em muitos times do Brasil e até mesmo no exterior e aproveito mais uma vez para pedir à torcida que seja paciente com o time e que seja sábia e não entre na provocação das outras torcidas que por certo nos provocará, pois o pessoal das “siglas”, CBF, STJ, com certeza não terá paciência com a “sigla” Flamengo.

Por Toninho Bolado