sábado, 30 de setembro de 2017

A tal “barca” de dispensa, é mais falsa que nota de três.

Em todas as listas de dispensa de jogadores do Flamengo, que liou ouvi são encabeçadas pelo Conca e pelo Mancuello.  E eu pergunto? Que culpa tem esses dois jogadores por tudo de bom ou ruim que tem acontecido com o clube? Nenhuma, pois eles quase não foram aproveitados por nenhum dos dois técnicos, que parecem gostar mais de Gabriel, Marcio Araújo, Rodnei e etc..
Enquanto isso nós temos quatro jogadores na posição de laterais, que não chegam aos pés do (Léo Moura ou do Jorge) e que nem se quer entram na tal lista. Nós temos um meia, camisa 10, que dribla, dribla, até perder a bola sem passar pra ninguém e que na hora, que mais precisamos dele, ele perde o pênalti, sem que ninguém cobre nada dele. Temos um centroavante de muita qualidade, mas que peca naquilo que é sua função, ou seja, fazer gols. Temos um ponta direita de muita velocidade, mas que esbarra num sistema de jogo de reter a bola na defesa e no meio campo, obrigando-o por falta de espaço, na maioria das vezes ficar ajudando na defesa. Aí, temos o Everton, que segundo todos os analistas de futebol é um jogador indispensávelà equipe. E realmente parece ser verdade, pois o cara joga demais. Pega a bola, dribla, vai à linha de fundo, toma a bola doadversário comete faltas, ajuda a defesa, mas depois que termina o jogo, vai ver ele não fez um lançamento, não fez um cruzamento, não cobrou um escanteio com perfeição, então vale a pena analisar se ele é tão indispensável assim.
Deixei pra falar por último do meio campo, porque eu acho que ali está o coração da equipe. Se o meio campo jogar bem, por certo, tanto a defesa quanto o ataque jogarão bem. O Cuellar, até bem pouco tempo, seria um dos primeiros a encabeçar qualquer lista de despensa do Flamengo, pois como outros atletas não tinha oportunidade de jogar. E de repente virou um jogadorindispensável àquela posição, o que não é difícil imaginar a razão. O Arão é um bom jogador, de muita luta e até que chega bem lá na frente, mas erra muitos passes. Então analisando friamente, não temos um bom meio campo. Parece que salvou somente os zagueiros, que são os únicos que têm jogado bem.
A verdade é que não podemos nos contentar apenas com o fato de não corrermos risco de rebaixamento, o Flamengo é muito maior que isso.
O jogo contra o Cruzeiro mostrou duas equipes acovardadas, fazendo um jogo de equipes pequenas. Uma jogando covardemente pelo empate, sabendo da deficiência do goleiro adversário em defender pênaltis e a outra sem nenhuma reação de furar o bloqueio adversário, acomodou-se em ficar tocando a bola sem nenhuma objetividade e o técnico parecendo feliz comtudo aquilo demorou para fazer qualquer substituição e quando as fezes, preferiutrocar seis por meia dúzia, pois tirou um jogador de velocidade, que não estava dando certo, para por outro também de velocidade, só que fora de sua posição. Ele teria que fazer alguma coisa diferente do que estava acontecendo e não insistir nos mesmos erros.

Por Toninho Bolado

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Por que o Cruzeiro jogou pelo empate?

O Cruzeiro mesmo sendo igual ou melhor que o Flamengo, jogou exclusivamente pelo empate e  para isso teve um motivo! O Mano, sabiamente tinha certeza absoluta de que se fosse para os pênaltis, a vitória viria facilmente e sem a necessidade de arriscar tanto e com isso deu um verdadeiro nó no inocente aprendiz do Zé Ricardo, o técnico Rueda.
Não só o técnico do Cruzeiro, eu acho que o mundo todo tinha essa certeza, de que se fosse para as penalidades máximas, o Flamengo perderia. Chega a ser constrangedor para o goleiro Muralha e eu penso que ele deveria ter tido a humildade de pedir para não catar os pênaltis, ou melhor, ficar debaixo do gol assistindo as bolas entrar. Em matéria de pegar pênaltis, nunca vi ninguém pior que ele.
Enquanto o Cruzeiro jogava pelo empate, o Flamengo caia na armadilha do adversário e fazia um futebol valorizando a posse de bola, mas sem qualquer objetividade, sem nenhum esquema ofensivo e aí fica fácil para o adversário marcar o Guerrero.
Aliás, o único esquema de jogo do Rueda, assim como era também do Zé Ricardo, além de valorizar a posse de bola é o esquema do: Quem sabe? Quem sabe o Berrio faz de novo aquela jogada? Quem sabe o Rodnei acerte outro chute de canhota? Quem sabe o Lucas Paquetá entra e faz um gol como tem feito?
Cabeça de técnico é uma coisa meio difícil de entender mesmo. Veja o caso do Diego, para mim é um dos piores momentos de sua carreira e não é que ele foi convocado para a Seleção? E por falar em convocação, parece que o Jorge foi convocado. Que dor de cotovelo! E temos que conviver com esses laterais que temos aqui.
Se eu fosse o Conca pagaria a multa rescisória e pediria para sair do Flamengo, pois é ruim para sua história, não ter oportunidade nesse timinho do Flamengo. Ele, mesmo sem ritmo de jogo é melhor do que os queridinhos do técnico. Aliás, acho que o Rueda não gosta muito de Argentinos...
È triste morrer na praia em Minas Gerais, que nem praia tem!

Por Toninho Bolado

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Bandeira abre o jogo sobre Conca e críticas aos "protegidos" no Flamengo



Nesta quarta-feira (27 de setembro), o Flamengo enfrentará o Cruzeiro na final da Copa do Brasil buscando o segundo título da competição desde 2013, primeiro ano do mandato do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Antes do duelo, que terá transmissão ao vivo do FOX Sports a partir de 21h, o mandatário deu uma entrevista ao site Globoesporte.com.


Nela, Bandeira falou sobre a contratação do argentino Darío Conca, que disputou apenas três jogos no ano.

“Investimento no futebol não é caderneta de poupança, que você sabe quanto vai render. Mas, não sei, pode ser que até o fim do ano ele entre bem e tenha fim de ano excepcional. É o que todos rubro-negros querem”, disse o presidente, que seguiu:

“Conca é um excelente jogador, chegou ao Flamengo depois de fazer duas cirurgias seguidas, entrou em processo de recuperação. Fizemos contrato de risco. A partir de determinado momento o treinador achou que deveria escalá-lo. Não escalou muito porque é definição do técnico”, concluiu o mandatário.

Bandeira também falou sobre os jogadores “protegidos”, que foram citados em uma entrevista recente ao programa Aqui com Benja. “Rafael Vaz, Muralha, Márcio Araújo, Gabriel, Pará lá atrás... Eu já disse para o Pará que ele deixou de ser meu protegido, já passou desta fase. Ele já não sofre mais bullying (risos)”, afirmou o presidente, que explicou a sua posição:

“Você não protege seu filho que sofre bullying? Ao proteger jogadores que estão sendo desrespeitados, o time todo se sente protegido. Protegido é uma maneira de falar. Jogador que não está sendo perseguido hoje, pode ser amanhã e sabe que vai ter apoio do presidente, dos diretores...”, completou.

Fonte: Fox Sports

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Como sempre, a torcida é sábia.

O Rueda que anda louquinho para recuperar o grande futebol do extraordinário Gabriel. No sábado contra o Avaí, deixou de fazer uma média com a torcida e tirar um pouco de sua responsabilidade ao optar por poupar tantos jogadores em um jogo de tanta importância, pois afinal, uma vitória, poderia nos colocar novamente no G4. Simples, era só ele substituir os jogadores que estavam sendo vaiados. Há, mas o Flamengo estava perdendo “só de um a zero” e seria um risco substituir um volante. Mas foi justamente o Marcio Araújo, que errou por duas vezes e fez de tudo para entregar o jogo. Não poderia tirar o Rafael Vaz, porque não tinha substituto no banco, punha o Rômulo. Tenho certeza que jogaria melhor, mesmo não sendo zagueiro.
Chega a ser irresponsabilidade um jogador destro chutar uma bola de canhota daquela distância, mas tem dado certo, fazer o que?
Hoje eu li uma enquete em que a torcida faz uma lista dos jogadores que ela quer que saia do Flamengo. Acho que é alguém que pensa daquela maneira e põe a culpa na torcida, pois duvido que ela, escolheria somente sete jogadores para fazer parte dessa barca.
Como o Flamengo não tem nem reserva direito para o gol. Bem que poderia testar o Everton Ribeiro nessa posição, pois com os pés não tem jogado lá essas coisa não, mas com as mãos tem jogado muito bem.
Parece que a diretoria, comissão técnica e alguns jogadores não estão sentindo a dimensão da responsabilidade que este título representa para a torcida, se ele não vier, eu acho que a paciência dela chegará ao fim.
E aí, haja barca pra caber todo mundo!
A torcida, como sempre é sábia e não é a toa que ela está sumindo dos estádios. A torcida do Flamengo quer ver a equipe perdendo, encurralar o adversário até conseguir o empate e quando conseguir empatar correr atrás da vitória. E não é isso que temos visto. O time às vezes até joga bem, mas um futebol muito burocrático, muito enceradeira.
O Guerrero afirma que a equipe está com sangue nos olhos. É justamente isso que está precisando!...

Por Toninho Bolado

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Será que o Zé tá fazendo falta? E O Marcio Araújo?

Fico até arrepiado só em pensar nisso, mas vendo o jogo de ontem, dá pra ver que alguma coisa não está funcionando nesse time do Flamengo. A verdade é que o Diego nunca foi nenhum Zico, mas é muito bom jogador e um bom jogador como ele, não tem o direito de jogar tão mal como jogou ontem e o pior, mostrar claramente aborrecido ao ser substituído, demonstrando assim que a vaidade é maior que a vontade de jogar pelo Flamengo. E o pior ainda, é que seu substituto, que ainda não jogou nada pelo Mengão, em vez de entrar e comer grama para mostrar que merece ser titular, entrou com uma má vontade danada, mostrando que em matéria de vaidade nós estamos roubados.
O Jean, com 36 anos de idade ser o melhor jogador em campo, é comprometimento com a equipe, coisa que está faltando a uma boa parte do elenco.
O interessante, é que eu nunca vi o Manquello jogar tão mal como o Diego jogou ontem, entretanto era substituído sem reclamar e olha que ele nunca chegava até o final da partida, o Zé Ricardo sempre o substituía, ou no intervalo, ou no máximo aos 10 minutos do segundo tempo. Com ele em campo, o Flamengo ganha nas bolas paradas. (Escanteios e aquelas faltas para serem alçadas na área). Eu gostaria de ver esse jogador ter mais oportunidades, pois, para mim ele tem muito mais qualidades do que um monte de outros jogadores do atual elenco. Embora, para o Rueda, tanto como era para o Zé Ricardo, esse negócio de qualidade não diz muito não.
Por falar em qualidade, como o Paquetá melhora o time quando entra. Seria uma boa opção para jogar mais perto do Guerrero.
Em matéria de goleiros nós estamos perdidos, pois o titular é tão ruim quanto os reservas, com uma agravante, a saída de bola dele é pior do que dos outros. Só não entregou o jogo ontem, porque o cara perdeu o gol.
Entre tantas competições que o Flamengo participou esse ano, talvez vamos ficar somente com o Carioca. Com certeza este é o verdadeiro motivo do silêncio da grandiosa torcida.

Por Toninho Bolado

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Onde foi parar a torcida do Flamengo?

Durante a semana muito se falou da torcida do Flamengo, pelo fato dos poucos torcedores do Cruzeiro, terem feito mais barulho do que a imensa e sempre barulhenta torcida do Mengão.
Houve jornalistas que disseram que provavelmente era por causa do preço dos ingressos estarem muito caros e com isso espanta os torcedores de baixa renda, levando ao estádio somente pessoas da alta classe e que segundo esses jornalistas quem faz barulho é o pobre, que o rico não canta, somente aplaude.
Duvido que pobre ou rico vá aplaudir Rodnei, Pará, Trauco, Renê, Rafael Vaz, Marcio Araújo e Etc., na verdade a torcida do Flamengo, está tendo motivos de aplaudir somente o Berrio e o Vinício Júnior, que são os únicos jogadores, que tentam fazer alguma coisa diferente.
A torcida do Flamengo vem sofrendo com times ruins há muito tempo e sempre dando apoio e aplaudindo, mas agora com tantas contratações caras, os torcedores sonharam com o sucesso e com isso, acabaram por se decepcionarem com: Geovânio, Héverton Ribeiro, Rômulo, Rodolfo e um monte de gringos. Pra mim esse é o verdadeiro motivo do silêncio de nossa torcida.
Uma derrota como a de hoje, além do prejuízo na tabela, eu temo também que alguém pense que ela veio em virtude do Marcio Araújo não ter jogado, ou pior ainda, que o Zé Ricardo está fazendo falta.
Contra o Cruzeiro, na quinta-feira, o cavalo passou arriado no Maracanã, não montamos. Podíamos ter vencido independente da falha do Thiago e não vencemos. Lá no Mineirão vai ser difícil. Mas como em Minas não tem praia, espero não morrer por lá.

Por Toninho Bolado

domingo, 3 de setembro de 2017

O retrocesso do Rueda, o amarelão do flamengo e a camisa amarela.

Muralha, Gabriel, Rafael Vaz e Marcio Araújo não têm culpa de serem ruins e nem de serem os queridinhos do Zé Ricardo, Mas o Rueda que me parece ser um técnico bastante inteligente tem a obrigação de saber, que a insistência com esses jogadores foi que derrubou o técnico anterior e em face disso, incorrer no mesmo erro pode ser considerado um retrocesso.
Antigamente, um time que tivesse setenta por cento de posse de bola, com certeza ganharia a partida com facilidade, mas no futebol de hoje, posse de bola nem sempre é sinônimo de vitória. O importante é o time partir pra cima com objetividade e o time do Flamengo, com exceção do Vinício Junior e do Berrio, os outros estão jogando um futebol de muito toque de bola, mas que não leva a muita coisa.
O jogo passado em que o Flamengo perdeu nos pênaltis, a equipe poderia muito bem ganhar nos noventa minutos, era só ter tido um pouquinho mais de vontade de ganhar, mas retrocedendo à era Zé Ricardo, jogou mais para não perder do que ganhar. O técnico adversário sim fez muito bem em jogar pelo empate, pois demonstrando conhecer o goleiro Muralha, tinha certeza que ganharia na disputa em pênaltis, coisa que o Rueda não parecia conhecer.
Por isso eu acho que o Flamengo amarelou sim, mesmo jogando com um time reserva, tinha a obrigação de dar esse título para sua torcida. Será que o Flamengo vai ficar igual ao time do América, que nadava, nadava e morria na praia?
Por falar em amarelar, será de quem foi a mente doentia que escolheu a cor amarela para a terceira camisa do Flamengo? Só pode ter sido o Claudio Pracowinik, aquele da passeata, que pedia o afastamento da Presidenta Dilma (até 31 de janeiro de 1919) e que enquanto a babá, de uniforme branco, levava seus dois filhos num carrinho, ele com sua esposa usando camisa verde e amarelo puxava um cachorrinho. Todos coxinhas, talvez, menos a babá.
Pode ter sido também o Claudio Godinho, Vice Presidente do Flamengo, aquele que foi preso em janeiro pela Farsa Jato.
Quando vejo o Flamengo jogando de amarelo, me dá uma saudade danada da televisão (preto e branco), porque só assim eu não teria esse tamanho desgosto de ver o Mengão jogando de amarelo, coisa que não tem nada a ver com suas belas cores.